Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mochila Vermelha

Qui | 29.09.16

Jet Lag esse malvado!

Voltei.

 

Como muitas vezes digo, "o que é bom termina depressa", por isso as férias/pseudo lua de mel passaram a correr!

 

Gosto muito de viajar, mas o jet lag é tramado! Este consiste numa resposta fisiológica devido a alterações físicas e psicológicas que sofremos quando nos deslocamos através de vários fusos horários num curto período de tempo. No fundo, o nosso ritmo circadiano fica virado do avesso, o que pode causar sintomas como dores de cabeça, enjoos, irritação, fadiga, insónia, entre outros.

 

Segundo a minha experiência, os principais sintomas são mesmo as insónias e as dores de cabeça. Também já cheguei à conclusão que o jet lag é para mim mais intenso quando viajo para a Ásia onde se acrescentam horas, do que quando viajo para as Américas. Como sou por natureza uma pessoa de sono leve que tem que respeitar os horários de sono, é natural que me custe muito adaptar a uma mudança brusca de horário.

 

Quais são então os truques para minimizar os efeitos do jet lag? Apresento em seguida as dicas que reunem maior consenso.

 

1. Alguns dias antes de viajar, ajustar os horários aos do local de destino. 

Em teoria parece uma excelente ideia, no entanto na prática não me parece que seja muito viável, pelo menos para quem trabalha, não se pode alterar essa rotina. Não me imagino a ir trabalhar de direta ou com 2 ou 3 horas de sono, o meu cérebro simplesmente não funciona.

2. Dormir bem antes de viajar e evitar as sestas à chegada.

Tudo bem, sempre durmo bem antes das viagens e tento ir dormir só de noite quando chego ao destino, mas isso não tem também resultado para mim. Acabo por adormecer de exaustão para daí a umas duas horas acordar e ficar às voltas na cama.

3. Descansar durante o voo (diga-se dormir) de preferência já com os horários do destino.

Nesta dica só tenho a dizer que invejo quem consegue dormir em qualquer lado e também nos aviões. Ou quem tem dinheiro para viajar em primeira classe, aí sim, talvez dormisse!

4. Medicamentos para dormir.

Não é aconselhado tomar medicamentos para dormir, embora pareça a melhor solução deve-se evitar. Ou optar por soluções naturais à base de plantas. Parece que também se pode recorrer à hormona melatonina, que se forma no nosso corpo quando dormimos.

Nunca experimentei. Terá que ficar para uma próxima.

5. Hidratação

Durante o voo deve-se beber muita água e evitar bebidas alcoólicas e com cafeína.

Bem, já fiz voos sem beber bedidas alcoólicas e outros em que bebi um ou dois copos de vinho. Resultado, continuei a sofrer de jet lag nos dois casos. No entanto, o voo com bebidas alcoólicas foi muito mais divertido!

6. Dormir o mesmo número de horas que se dorme em casa.

Bem que gostaria mas as insónias não permitem, até posso passar 8 horas deitada, mas nas primeiras noites, consigo apenas dormir 2 a 3 horas.

7. Passear e apanhar sol no destino.

Parece-me óbvio. Quem vai viajar horas de avião e depois não passear? Claro que quando chego ao destino vou logo ver as vistas, no entanto, continuo a sofrer muito com o jet lag.

8. Usar óleo essencial de alfazema.

Nunca experimentei, mas é apontado como um coadjuvante do sono durante a noite e promotor do relaxamento durante o dia. Devia ter feito esta pesquisa antes de viajar!

 

Como é óbvio cada pessoa é um caso. Estas dicas podem funcionar lindamente para algumas pessoas e para outras nem por isso. Eu pareço ser uma dessas pessoas condenadas a sofrer alguns dias até a exaustão ser tanta e finalmente dormir 7 ou 8 horas seguidas. Mas pronto, eventualmente acabamos por nos adaptar. E depois voilà as férias terminam e temos que voltar!

 

Bem agora tenho que ir dar mimos ao meu gato que está com "jet lag" de mimos. Tem sido complicado escrever isto com ele em cima do teclado a pedir atenção!

2 comentários

Comentar post