Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mochila Vermelha

Sex | 30.09.16

Manteiga de Amendoim

Hoje vou partilhar algo que adoro. Manteiga de amendoim! Sou completamente viciada! Isto desde que me disseram que é a coisa mais fácil do mundo de fazer. E é de verdade.

 

Quando era miúda sempre me diziam que não se devia comer muitos amendoins. Será verdade? O amendoim é bastante calórico. 100 gr possuem cerca de 560 kcal, no entanto, a sua distribuição é mais ou menos assim:

- 49 gr de gorduras (52% destas é monoinsaturada, 33% poli-insturadas e 15% saturadas);

-26 gr de proteínas;

-16 gr de hidratos de carbono.

 

O amendoim não contém colesterol. Este é também rico em vitamina E e do complexo B, entre outras, fósforo, magnésio, zinco, ferro, potássio, etc. Contém ainda fibras solúveis e insolúveis que contribuem para a sensação de saciedade.

 

E as boas notícias são.... que é bom para ajudar a perder peso, em especial a gordura abdominal, mas, comido em moderação, claro, e entre refeições, justamente pela sua composição. Outros benefícios passam pela diminuição da incidência de Alzheimer (devido à vitamina E), também parece ser útil para prevenir o aparecimento do cancro, reduz o risco de sofrer de diabetes, ajuda ao bom funcionamento do metabolismo, bom para os músculos, etc.

 

No entanto existem alguns cuidados a ter. No acto da compra deve-se verificar se existem fungos ou bolores (espécie de pó verde) denominados de aflatoxinas, podem trazer consequências sérias relacionadas com o cancro de fígado. Deve-se balancear o consumo de ómega 6 com o consumo de ómega 3 (peixe).

 

Vamos lá à receita?

 

Ingredientes:

- Amendoins torrados descascados

 

Utensílios:

- Picadora

 

Preparação: Colocar os amendoins torrados lá para dentro e picar. Tem que se picar durante algum tempo, até aquecer e se ver que começa a ficar com a consistência da manteiga. Optem por usar a pele vermelha do amendoim que é também muito nutritiva.

 

Ah e parece que também é um estimulante da líbido!

 

Bem estes benefícios são válidos para quem não é alérgico, obviamente.

 

 

manteiga-amendoim.jpg

 

 

manteiga-amendoim2.jpg

 

Qui | 29.09.16

Jet Lag esse malvado!

Voltei.

 

Como muitas vezes digo, "o que é bom termina depressa", por isso as férias/pseudo lua de mel passaram a correr!

 

Gosto muito de viajar, mas o jet lag é tramado! Este consiste numa resposta fisiológica devido a alterações físicas e psicológicas que sofremos quando nos deslocamos através de vários fusos horários num curto período de tempo. No fundo, o nosso ritmo circadiano fica virado do avesso, o que pode causar sintomas como dores de cabeça, enjoos, irritação, fadiga, insónia, entre outros.

 

Segundo a minha experiência, os principais sintomas são mesmo as insónias e as dores de cabeça. Também já cheguei à conclusão que o jet lag é para mim mais intenso quando viajo para a Ásia onde se acrescentam horas, do que quando viajo para as Américas. Como sou por natureza uma pessoa de sono leve que tem que respeitar os horários de sono, é natural que me custe muito adaptar a uma mudança brusca de horário.

 

Quais são então os truques para minimizar os efeitos do jet lag? Apresento em seguida as dicas que reunem maior consenso.

 

1. Alguns dias antes de viajar, ajustar os horários aos do local de destino. 

Em teoria parece uma excelente ideia, no entanto na prática não me parece que seja muito viável, pelo menos para quem trabalha, não se pode alterar essa rotina. Não me imagino a ir trabalhar de direta ou com 2 ou 3 horas de sono, o meu cérebro simplesmente não funciona.

2. Dormir bem antes de viajar e evitar as sestas à chegada.

Tudo bem, sempre durmo bem antes das viagens e tento ir dormir só de noite quando chego ao destino, mas isso não tem também resultado para mim. Acabo por adormecer de exaustão para daí a umas duas horas acordar e ficar às voltas na cama.

3. Descansar durante o voo (diga-se dormir) de preferência já com os horários do destino.

Nesta dica só tenho a dizer que invejo quem consegue dormir em qualquer lado e também nos aviões. Ou quem tem dinheiro para viajar em primeira classe, aí sim, talvez dormisse!

4. Medicamentos para dormir.

Não é aconselhado tomar medicamentos para dormir, embora pareça a melhor solução deve-se evitar. Ou optar por soluções naturais à base de plantas. Parece que também se pode recorrer à hormona melatonina, que se forma no nosso corpo quando dormimos.

Nunca experimentei. Terá que ficar para uma próxima.

5. Hidratação

Durante o voo deve-se beber muita água e evitar bebidas alcoólicas e com cafeína.

Bem, já fiz voos sem beber bedidas alcoólicas e outros em que bebi um ou dois copos de vinho. Resultado, continuei a sofrer de jet lag nos dois casos. No entanto, o voo com bebidas alcoólicas foi muito mais divertido!

6. Dormir o mesmo número de horas que se dorme em casa.

Bem que gostaria mas as insónias não permitem, até posso passar 8 horas deitada, mas nas primeiras noites, consigo apenas dormir 2 a 3 horas.

7. Passear e apanhar sol no destino.

Parece-me óbvio. Quem vai viajar horas de avião e depois não passear? Claro que quando chego ao destino vou logo ver as vistas, no entanto, continuo a sofrer muito com o jet lag.

8. Usar óleo essencial de alfazema.

Nunca experimentei, mas é apontado como um coadjuvante do sono durante a noite e promotor do relaxamento durante o dia. Devia ter feito esta pesquisa antes de viajar!

 

Como é óbvio cada pessoa é um caso. Estas dicas podem funcionar lindamente para algumas pessoas e para outras nem por isso. Eu pareço ser uma dessas pessoas condenadas a sofrer alguns dias até a exaustão ser tanta e finalmente dormir 7 ou 8 horas seguidas. Mas pronto, eventualmente acabamos por nos adaptar. E depois voilà as férias terminam e temos que voltar!

 

Bem agora tenho que ir dar mimos ao meu gato que está com "jet lag" de mimos. Tem sido complicado escrever isto com ele em cima do teclado a pedir atenção!

Dom | 11.09.16

A Mochila Vermelha vai...

A Mochila Vermelha vai de férias/pseudo lua de mel quase um ano de casados. A vida é assim, na altura do casamento não conseguimos organizar a lua de mel.

Fomos adiando, adiando e agora lá vamos nós, para mais uma viagem de mochila às costas!

 

E para quem tiver curiosidade de saber onde, espreitem o Instagram da Mochila Vermelha.

 

Até breve!

Qui | 08.09.16

Cúmulo da Azelhice

Até nem faço azelhices muitas vezes, mas quando faço, faço em grande!

 

Andava eu feliz e contente da vida, com a ideia e certeza que tinha um dos meus posts publicados! De facto, tinha-o publicado no dia 17 de agosto. Mas não sei como, quando nem porquê apaguei-o. Só me apercebi disso porque andei a atualizar o layout do blog, e uma das coisas que pretendia fazer consistia em colocar um link para esse post. Qual não foi o meu espanto, quando não o achei em lado nenhum! Por sorte ainda estava lá, triste, só, e abandonado (gelado!) na lixeira!

 

Bem que achei estranho não haver um link para o post, na rubrica "Como Eu Blogo" do Sapo Blogs! Nem podia, pois apaguei-o! Se por acaso alguém se deu ao trabalho de procurar por ele, as minhas sinceras desculpas pela tamanha azelhice! 

  

sushi.jpg

Nota: O meu gato também faz muitas azelhices, claro que não cabe aí debaixo... sai aos donos...

 

Que vos parece? Mereço o título do cúmulo da azelhice? Ou há por aí alguém que me consiga destronar? Ou o gato fica com o título?

Ter | 06.09.16

Quem usa a Mochila

Após todo este tempo de actividade no blogue, julgo ter chegado o momento ideal para falar um pouco sobre mim e porque decidi criar a Mochila Vermelha.

 

Gosto de escrever, aliás sempre gostei, desde criança. Fui uma escritora assídua de poemas e contos até ao final do secundário, cheguei a ganhar prémios em alguns concursos escolares em que participei. No entanto, quando entrei para a universidade deixei de escrever. O mesmo se passou quando comecei a trabalhar. Sempre me lamentava que há muito tempo não escrevia nada, que tinha perdido a minha inspiração. Mentira! Como tudo na vida, a inspiração trabalha-se, não podemos esperar de braços cruzados que venha ter connosco!

 

E assim se passaram os anos. Trabalhei no estrangeiro, o que degradou a qualidade do meu Português. Voltei para Portugal. Fiz o mestrado. Voltei a trabalhar. Entretanto sempre ia lendo uns livros, a leitura online começou a ficar cada vez mais na moda, começaram a surgir os blogues, comecei também a ler alguns, sempre pensando que seria uma excelente ideia para tentar reconciliar-me com a escrita. E foi assim que em 2015 criei este blogue, já com este nome, mas usando um template diferente. Nele escrevi dois rascunhos que permaneceram inacabados até abril de 2016. Entretanto, decidi casar, no meio de todos os preparativos e de uma fase bastante sobrecarregada de trabalho, foi-me impossível cumprir esse objetivo.

 

Como em tudo na vida, com um pouco de persistência tudo se torna possível. Assim que tive um momento mais calmo, dediquei-me a terminar os posts em rascunho e publicá-los. Não pretendo, nem consigo escrever diariamente. Se gostaria de o fazer? Com certeza. Mas não sou capaz. Matérias e temas para escrever não me faltam. Quem como eu, olha para as folhas que caiem das árvores no Outono, para as ondas do mar e escreve frases mentalmente, ou sonha durante a noite e de manhã acorda com linhas escritas na cabeça, que urgem em passar para uma folha de papel, poderá perceber como é importante para mim escrever, como é libertador!

 

Porquê o nome de Mochila Vermelha? Bem, porque a primeira mochila tipo "backpacker" que comprei para a minha primeira grande viagem é vermelha. Tem sido a minha fiel companheira de aventura. Viajar é a minha grande paixão, seja dentro de Portugal, na Europa ou por outros continentes, sempre existem coisas mágicas para apreender, pessoas que nos tocam, ou nas quais deixamos marcas, lugares que ficarão para sempre no coração. No entanto, gosto de escrever sobre outras coisas, culinária, por exemplo, adoro fazer novas misturas e adulterar as receitas, por isso de vez em quando gosto de anotar para não me esquecer. E porque não partilhá-las! Sou também uma pessoa que acredita nas terapias alternativas, na agricultura biológica, que tenta diminuir a pegada ecológica. No fundo, preocupo-me com o futuro da Terra e como tal, gosto de partilhar as minhas descobertas e inquietações.

 

A Mochila Vermelha é ao mesmo tempo uma reconciliação e uma reaproximação à escrita. Se porventura o que escrevo fizer sentido, se for inspirador e útil, então juntem-se a mim, são muito bem vindos. Vamo-nos inspirar mutuamente!

 

"Start by doing what's necessary; then do what's possible; and suddenly you are doing the impossible."

São Francisco de Assis

 

 

Seg | 05.09.16

Caderno de poemas

Às vezes é bom ir remexer nos baús das recordações! Já há algum tempo que andava para procurar o meu caderno de poemas. Sabia que o tinha guardado, mas não tinha bem a certeza onde! Após tentar vários locais, achei-o! 

 

Quando era miúda, tinha o sonho de escrever um livro, então sempre que escrevia um poema que gostava, transcrevia-o para este caderno!

 

Confesso que fiquei surpreendida, a primeira entrada no meu caderno, data de agosto de 1991, tinha eu nove anos de idade! Não me lembrava mesmo que escrevi o meu primeiro poema tão novinha!

 

Pode não ser uma grande obra prima da literatura, mas mesmo assim vou partilhá-lo convosco, porque é muito especial para mim!

 

Mar

 

As ondas vêm 

As ondas vão,

Deixam na brisa o cheiro a água salgada,

Que me inspira

Quando escrevo um poema.

Que saudades tenho do Verão!

Da praia,

Dum mergulho na água salgada,

Deste nosso misterioso mar!

As ondas vêm 

As ondas vão,

E levam nelas este meu poema...

 

Sex | 02.09.16

Água aromatizada

Já estamos em Setembro, mas de acordo com as previsões parece que vem aí muito calor....

 

Quando faz muito calor, só apetece beber refrescos, umas cervejas bem geladas, etc... Estas bebidas sabem bem e são frescas mas normalmente vêm acompanhadas de toneladas de açucar....

 

Já experimentaram fazer água aromatizada? É uma delícia, extremamente refrescante e não faz mal à silhueta! Pelo contrário, até pode ajudar a combater as gorduras instaladas. A preparação é super simples e rápida. Arranjar um jarro cheio de água, colocar os ingredientes e deixar repousar no frigorífico durante algumas horas, até ficar bem fresco e com sabor.

 

Sugestões:

1. Limão, gengibre e hortelã.

2. Pepino, limão e hortelã

3. Com frutas: morango e hortelã; abacaxi e hortelã; laranja e hortelã,....

 

Bem é tão simples, basta usar os sabores que mais gostamos e vai ficar bom de certeza. Alguns ingredientes são ideias para ajudar a emagrecer, que tal misturar abacaxi, limão, gengibre e um pau de canela? Ou alecrim, gengibre e canela? Eu adoro o sabor da hortelã, por isso acrescento sempre umas folhas, pois dá uma excelente sensação de frescura. Também podem optar pelo manjericão se preferirem, algumas folhas ligeiramente amassadas darão um excelente sabor!

 

O gengibre e a canela são termogénicos, contribuindo para acelerar o metabolismo. O abacaxi é diurético, o limão ajuda a desintoxicar o corpo, o alecrim tem imensas propriedades, sendo também diurético, ajuda a estimular a circulação sanguínea, etc.

 

Não custa tentar, certo? Pelo menos sabe bem e é refrescante!

 

A minha versão de hoje contém, limão, pepino, gengibre, kumquats e manjericão! Já está no frigorífico! 

 

IMG_20160902_193052900.jpg

 

 

Qui | 01.09.16

Trabalhar para a brancura

Espero não ser a única a carregar esta cruz! A verdade é que nasci com a pele extremamente branca e assim continuo, fazer o quê? Pergunto-me se cometi algum crime? Começo a desconfiar se não existe por aí um artigo escondido na Constituição da República Portuguesa a dizer que é proibido ter pele extremamente branca em Portugal....

 

As pérolas que tantas vezes ouço, são muitas, mais ou menos deste género:

 

- Andas a fazer reclame à lixívia! (Ouvia esta muitas vezes quando era adolescente e isso afetava-me bastante!)

- Já foste de férias!!??? Tás tão branca....

- Ainda não foste à praia, pois não? Tás tão branca....

- Ai coitadinha, não tem ninguém que a leve à praia! (Esta ouvi quando passava na rua, vinda dos jardineiros que andavam a cuidar das plantas...)

 

Quando era mais novinha, ainda uma adolescente, ficava muito irritada com esta minha característica e com os comentários dos colegas, sempre que vinha o Verão passava um mês na praia e lutava religiosamente para adquirir o tão desejado bronzeado, só para passado umas duas semanas, ver a pele toda a escamar e voltar à minha brancura!

 

Quando entrei nos vinte, caiu-me a ficha, para quê lutar contra o meu aspeto? Não vale a pena! Decidi aceitar-me como sou e não fazer caso do que os outros dizem. Mas, nunca soube muito bem como reagir aos comentários. Apenas fazia um sorriso amarelo e encolhia os ombros. No entanto agora faço questão de responder. Digo coisas do género, pois, manter a brancura dá muito trabalho, ou, gosto de ser branca, ou, o Sol faz rugas e envelhece a pele,....

 

E entretanto deixei de me importar de mostrar as minhas pernas super brancas! No Verão ando sempre de saia ou de vestido. Quem não gosta, não precisa de olhar!

 

Pois é, na verdade, nós pessoas com pele extremamente branca também fazemos férias e vamos à praia, por mais que isso possa surpreender! No entanto, desculpem-me se não consigo nem gosto de passar quinze dias na praia de papo para o ar. Tenho outros interesses, apesar de adorar ir à praia, quando vou de férias prefiro ir conhecer os lugares, a cultura, arquitetura, a gastronomia, as pessoas, não vou andar horas e horas de avião para estar fechada num resort e numa praia (nada contra quem faz isso - gostos não se discutem!). Aliás, o meu dia de praia ideal compreende os seguintas passos:

1. Chegar à praia pelas 17 ou 18 horas;

2. Esticar a toalha;

3. Tirar a roupa;

4. Ir para água e ficar lá a chapinhar uma hora ou mais;

5. Secar um pouco;

6. Vestir a roupa e ir embora.

 

Se as férias proporcionarem uns belos mergulhos, tanto melhor! Mas praia tenho aqui ao lado, por isso não é essencial! E não preciso que me levem, se me apetecer, vou!

 

Bem, apesar de o Sol ser necessário e fazer bem à saúde, em demasia faz muito mal, a mim causa-me impressão ver as pessoas com a pele tão tisnada, seca e envelhecida! Afinal, fico feliz por ter a pele extremamente branca, de me resguardar do Sol pois queimo com muita facilidade, e por praticamente não ter rugas, apesar de já ter passado dos 30 (pronto, tudo bem a genética também tem o seu papel, mas é um facto que o Sol contribui e muito para o envelhecimento precoce da pele)!

 

Cada um sabe de si, por isso, deixem as pessoas com pele extremamente branca em paz! Elas sabem que são brancas, não necessitam de ser constantemente informadas disso. Também temos direito de por cá andar!

 

O inteligente previne-se de tudo; o idiota faz observações sobre tudo.

Heinrich Heine