Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mochila Vermelha

Ter | 31.01.17

Terraço da Alta - Coimbra

Durante a minha estadia em Coimbra, no início do ano, este foi um dos restaurantes em que fomos almoçar.

 

IMG_20170110_132626552.jpg

 

Gostei bastante da decoração acolhedora, do atendimento e da comida. Ao almoço fazem um menu bastante acessível (cerca de 8€ a 8,5€) e o empratamento é de muito bom gosto (assim com aquele toque gourmet que tanto apreciamos). A minha comida estava muito boa e o copo de vinho nunca ficou vazio.

 

IMG_20170110_132526581.jpg

 

IMG_20170110_140118203.jpg

 

A localização é excelente e em dias solarengos pode-se comer na esplanada e apreciar a excelente vista.

 

IMG_20170110_150849920.jpg

 

Passou-se um episódio engraçado, que vou partilhar. Éramos um grupo relativamente grande, de várias nacionalidades. Uma colega, apesar de não ser vegetariana, gosta de optar por não comer nem carne nem peixe sempre que possível. Logo, perguntámos ao rapaz que andava a servir, se tinham uma opção vegetariana. Ele prontamente respondeu que sim, tinham uns folhados de legumes, mas depois fugiu-lhe a boca para a sinceridade.... Tem espinafres, cogumelos, ... , e uns bocadinhos de bacon só para saber melhor! Escusado será dizer que nos desmanchámos logo a rir! 

 

Desta forma, poderá não ser a melhor opção para quem for vegetariano! Mas pronto, antes falar a verdade que tentar enganar os clientes.

 

Mais detalhes na página do Facebook, aqui.

 

#MochilaVermelhaBlog

#Mochilin

#Coimbra

Qui | 26.01.17

Um champô, uma pasta de dentes e um lava tudo

hazardous-waste-warning-sign-s-0517.png

Imagem daqui. 

 

Que têm em comum um champô, uma pasta de dentes e um detergente lava tudo? Seríamos tentados a responder nada, certo? Mas será mesmo assim?

 

Convido-vos a fazerem este exercício em casa, ou seja, olhar para a lista de ingredientes desses produtos. Alguns dos ingredientes até são usados nos produtos alimentares. Chocados? Nunca se perguntaram porque é que alguns grandes grupos económicos (não vou mencionar nomes, mas com certeza conseguirão identificá-los), produzem uma grande variedade de produtos, tais como, champôs, pastas dentríficas, gel de duche, desodorizantes, loções corporais, detergentes para fins variados e produtos alimentares. Basicamente porque os ingredientes que utilizam são usados em todos.

 

Se fizerem o exercício, irão encontrar por exemplo, nos champôs, pastas de dentes e lava tudo algo chamado de SLS (Sodium Lauryl Sulfate). Não sendo eu uma pessoa entendida em química, pelo pouco que consegui perceber nas minhas pesquisas, o SLS e o seu primo SLES (Sodium Laureth Sulfate) são surfactantes, ou seja, produzem espuma! Estes estão presentes em cerca de 80 tipos de produtos que usamos no nosso dia-a-dia (sabonetes, champôs, gel de duche, pasta de dentes, lava louça, detergente para a roupa, sabonetes e champôs para criança, tira-nódoas, rímel, creme de barbear, loções de limpeza da pele, loções hidratantes, etc...)
 

Mas se o SLS e SLES são tão comuns, serão perigosos? E se são perigosos, porque são usados? A resposta à primeira questão é sim, e à segunda, porque são baratos.

 

O SLS que encontramos num sabonete ou gel de duche é o mesmo que se encontra num detergente usado para desengordurar motores de carros. 

 

Quem nunca sentiu a pele seca após o banho? Comichão no couro cabeludo, os olhos irritados, úlceras na boca, são outros sintomas associados ao SLS.

 

Deixo aqui algumas preocupações a ter em conta quanto ao SLS:

  1. É conhecido como sendo um irritante da pele;
  2. Polui a água sendo tóxico para os peixes e outros animais aquáticos;
  3. É um pesticida e herbicida (não foi aceite como químico a poder ser usado na agricultura biológica exatamente por ser poluente e um perigo para o meio ambiente;
  4. Quando aquecido emite gases tóxicos;
  5. Tem propriedades corrosivas;
  6. Impregnação nos tecidos do corpo a longo prazo (em especial nos olhos, coração, cérebro e fígado);
  7. É irritante para os olhos;
  8. Contaminação por nitratos e outros solventes;
  9. O processo de fabricação é altamente poluente (emitindo compostos orgânicos voláteis causadores de cancro, compostos de enxofre e partículas de ar);
  10. Ajuda outros produtos químicos a entrar no teu corpo.

 

Não está comprovado que o SLS ou SLES provoquem cancro por si só, no entanto poderão ser contaminados ou misturados com outras substâncias como por exemplo a trietanolamina (ou T.E.A) gerando nitrosaminas que são carcinogénicas.

 

No entanto, um dos piores efeitos, é a absorção de SLS através da pele, uma vez absorvido, este imita a atividade da hormona estrogénio, trazendo muitos riscos para a saúde, como agravamento dos sintomas de TPM e menopausa, redução da fertilidade masculina, aumento de cancros tipicamente femininos (por exemplo da mama onde os níveis de estrógenio têm um papel fundamental) .

 

De acordo com um estudo de 2004 (da EWG's Skin Deep), um adulto usa em média 9 produtos de higiene pessoal por dia, contendo cerca de 126 químicos diferentes. Cerca de 250000 mulheres e um em cada 100 homens usam cerca de 15 produtos diariamente! 

 

Dá que pensar, não?  Depois ficamos surpreendidos com a quantidade de cancros e doenças do sistema endócrino que surgem hoje em dia!

 

Sinceramente, em vez de olhar para as maravilhas anunciadas nos seus rótulos, por exemplo à pele, aos cabelos oleosos, secos, encaracolados ou louros, devemos olhar para a lista de ingredientes. Uma curiosidade, na lista de ingredientes, estes surgem consoante a quantidade, ou seja, os primeiros a serem listados são os que estão em mais quantidade no produto.

 

E isto é só sobre o SLS, acrescentem os parabenos, os derivados de petróleo, ftalatos e outros impronunciáveis e já podem ter uma noção do horror! 

 

Eu acredito que a indústria cosmética deve ser responsabilizada e/ou desmascarada para parar de fazer milhões em lucros à custa da nossa saúde e meio ambiente.

 

A informação está aí e existem alternativas! 

 

E agora abram-se as hostilidades!

 

The truth is out there.

 

#MochilaVermelhaBlog

#SLSfree

Ter | 24.01.17

Schweriner Schloss

Schwerin é conhecida como a cidade dos sete lagos e das belas artes. É a capital do Estado de Meklemburgo-Pomerânia Ocidental na Alemanha, tendo uma população ligeiramente inferior a 100 000 habitantes.

 

schw7.jpg

 

Os lagos ditam sem dúvida a beleza desta cidade, no entanto a cereja no topo do bolo é sem dúvida o seu castelo, conhecido como "Schweriner Schloss". Os primeiros registos de um castelo no meio de um lago datam de 965. No entanto, apenas em 1160 a cidade foi fundada e o castelo reconstruído. O castelo é sem dúvida o símbolo desta cidade, localizando-se entre os lagos Schweriner See e Burgsee.

  

schw4.jpg

 

 Mas existem muitas mais coisas para ver a visitar para além do castelo: a catedral, o Museu Estadual, o Obelisco da Vitória, o palácio Altes Palais, entre outros.

 

schw6.jpg

 

Todas as ruas e edifícios possuem a sua própria beleza!

 

schw5.jpg

 

 Deixo aqui mais algumas vistas do castelo e dos seus lindos jardins.

 

schw.jpg

 

schw3.jpg

 

 

schw2.jpg

 

Podes encontrar mais informações sobre Schwerin aqui.

 

Esta cidade é facilmente acessível a partir de Hamburgo. As duas cidades distam 90 km, a viagem de comboio dura cerca de uma hora e vinte minutos. Podes encontrar informações sobre a viagem aqui.

 

A Mochila fez apenas uma viagem de um dia, mas a cidade tem muito para ver e merece uma visita mais prolongada. Apesar do céu azul estava um dia muito frio, pois era Dezembro. O bom desta altura é mesmo poder apreciar o mercado de Natal.

 

O ponto alto da agenda cultural é sem dúvida o Schlossfestspiele (Festival de ópera no castelo) que decorre no verão. Este ano será entre 30 de Junho e 6 de Agosto.

 

Desta vez até eu tenho que ir fazer a Mochila e ir a este festival de ópera que deve ser fantabulástico!

 

#MochilaVermelhaBlog

#Schwerin

#SchwerinerSchloss

Sex | 20.01.17

Os Encantos de Coimbra II

No último post, falei sobre a Universidade de Coimbra, como sendo o encanto número 1 da cidade, e sem dúvida um dos símbolos e aquela que mais a caracteriza.

 

No entanto, Coimbra é também chamada de cidade museu, isto só quer dizer que tem imensos locais de interesse. O melhor mesmo é literalmente perder-se nas pequenas ruelas da alta e da baixa, subir e descer sem rumo e apreciar a sua beleza e magia. Cada edifício é único e arquitetonicamente belo.

 

2. Jardim Botânico da Universidade de Coimbra
Data de 1772, foi criado por iniciativa do Marquês de Pombal, tem uma área de cerca de 13 hectares, em terrenos doados na sua maioria por frades beneditinos. O jardim dispõe de plantas de todo o mundo, pelo que pode ser considerado um museu vivo. Para mais informações sobre o jardim, visitas e actividades, clica aqui.

 

IMG_20170112_094252309.jpg

 

3. Igreja do Mosteiro de Santa Cruz

A construção do mosteiro iniciou-se em 1131 por ordem do Rei D. Afonso Henriques, tendo sofrido várias obras ao longo do tempo e algumas modificações. É nesta igreja que se encontram os túmulos de D. Afonso Henriques e D. Sancho I. Para mais informações clica aqui.

 

IMG_20170111_204717556.jpg

 

4. Sé Velha

Abriu ao culto em 1184. Ao longo do tempo foi recebendo obras e acrescentos de diferentes estilos arquitetónicos. Para mais informações clica aqui.

 

 

IMG_20170111_203437350.jpg

 

5. Igreja de São Tiago

A sua construção é do final do século XII, tem um estilo arquitetónico românico. Para mais informações clica aqui.

 

 

IMG_20170111_204357200.jpg

 

6. Museu Machado de Castro

Os edifícios que compõem o museu permitem uma viagem no tempo de cerca de 2000 anos. O que mais me fascina é mesmo visitar o criptopórtico romano. Este é datado de meados do século I e foi construído para administrar a Coimbra  romana, denominada por Aeminium. Para mais informações clica aqui

 

 

IMG_20170111_140117359.jpg

 

7. Quebra Costas

Escadaria que liga o Arco de Almedina ao largo da Sé Velha, ou por outras palavras a baixa da cidade à parte alta. Vale a pena subir ou descer estas escadas e apreciar as várias lojas e restaurantes.

 

IMG_20170111_203550393.jpg

 

8. Arco e Torre de Almedina

"Edificada sobre o Arco de Almedina, a Torre tinha como função vigiar e defender a principal porta de acesso ao interior da muralha. Durante a ocupação árabe da cidade, as muralhas estendiam-se ao longo de dois quilómetros, constituindo um poderoso sistema defensivo no qual se incluiam a Torre e o Arco de Almedina, que continua a ser a entrada principal para a parte alta da cidade." +info

 

IMG_20170111_203924762.jpg

 

9. Jardim da Sereia

A construção e arranjo do parque remonta aos anos de 1723 a 1752. É conhecido por este nome devido à escultura onde aparecem um tritão, um golfinho e uma sereia.

 

IMG_20170111_210840091.jpg

 

10. Jardim da Manga

Mais corretamente Antigo Claustro da Manga do Mosteiro de Santa Cruz, ou seja é tudo o que resta desse antigo claustro. Trata-se de um pequeno templo central rodeado por 4 pequenas capelas e os tanques de água.

 

IMG_20170111_205030040.jpg

 

E podia continuar a enumerar locais, como por exemplo o mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Santa Clara-a-Nova, o Portugal dos Pequenitos, e por aí fora!

 

P.S. As fotografias foram tiradas a correr...

 

#Mochilavermelhablog

#Coimbra

Ter | 10.01.17

Encantos de Coimbra

Esta semana, o trabalho trouxe a Mochila Vermelha até Coimbra! 

 

Conheço bem esta cidade, na minha infância e adolescência fui uma frequentadora assídua! 

 

Para mim sempre foi e sempre será uma cidade misteriosa e romântica! Misteriosa pois, por debaixo da sua construção visível  se encontram vestígios romanos, e cá para mim, muitos ainda por descobrir ou por mostrar! Romântica devido aos amores de D.Pedro e Dona Inês e ainda pelas serenatas cantadas pelas várias tunas académicas, que aqui têm o seu expoente máximo de tradição! 

 

A verdade, é que vou passar esta semana em reuniões, pelo que infelizmente não dá para passear, apenas para tirar umas fotografias apressadas no caminho entre o hotel e o local onde estarei trancada a trabalhar e durante o almoço.

 

Hoje, consegui rever o encanto número 1: a Universidade de Coimbra! Esta dispensa sem dúvida apresentações!  Mas ainda assim aqui fica um pequeno resumo.

 

Foi criada em 1290 quando o rei D. Dinis assinou o "Scientiae thesaurus mirabilis”, sendo a universidade mais antiga de Portugal. E uma das mais antigas do mundo. Esse documento deu origem ao Estudo Geral, tendo sido reconhecido pelo papa Nicolau IV.

 

É património Mundial da UNESCO desde 2013 e em 2015 comemorou 725 anos de existência! 

 

IMG_20170109_134339430.jpg

 

No pátio da Universidade podem encontrar e devem visitar a Biblioteca Joanina que é lindíssima! Para mais informações clica aqui.

 

IMG_20170109_134332074.jpg

 

#MochilaVermelhaBlog 

#Coimbra 

#Unescosite

#UC

 

 

Qua | 04.01.17

A Ayers Rock Portuguesa - Rocha da Pena

Muitos dizem, "Ano Novo, Vida Nova"! Eu prefiro traduzir isto para a filosofia da Mochila Vermelha: "Ano Novo, Novas Sugestões para Passeios"!

 

Quem quer embarcar nesta aventura com a Mochila Vermelha? Vamos descobrir este recanto português que a Mochila simpaticamente batizou de Ayers Rock Portuguesa?

 

rocha-pena-2.jpg

  

Este lugar que a Mochileira teve o prazer de visitar chama-se Rocha da Pena. A sua designação mais correta é Paisagem Protegida da Rocha da Pena - tendo sido criada no âmbito do Decreto-Lei n.º 142/2008, de 24 de julho - localizando-se nas freguesias de Salir e Benafim, pertencentes ao concelho de Loulé. Trata-se de um recanto mágico que possibilita magníficas vistas para a linha de costa algarvia e para a serra.

 

rocha-pena.jpg

 

Esta escarpa tem um planalto de cerca de 2 km de comprimento e cerca de 50 metros de altura. A altitude máxima é de 479 metros. Nela encontram-se mais de 500 espécies de plantas e aproximadamente 122 espécies de aves.

 

rocha-pena-3.jpg

  

É possível realizar um percurso pedestre para ficar a conhecer melhor esta maravilha da natureza. Para mais informações clica aqui.

 

rocha-pena-4.jpg

 

A Mochileira fez este percurso pedestre com o Mochileiro, a Mochileira Su, Ju e Ri. Para além de muito bonito e divertido oferece ainda a possibilidade de conhecer a aldeia típica da Penina e as suas simpáticas gentes! Não se ofendam se forem apelidados de "malta de apartamento" ou de "estufa", é apenas uma forma simpática de vos dizerem que o bronzeado não está na melhor forma! No final, ainda receberam o mimo de uma ronda de bebidas, tal a simpatia das gentes locais e o gosto em receber as pessoas que por lá passam para conhecer a Rocha!

 

penina.jpg

 

Talvez seja um pouco mais modesta que a Ayers Rock da Austrália (um local na minha wish list!) mas não deixa de ter a sua beleza! 

 

Bora lá fazer a Mochila?